As cores e as flores de Natália Viana

blog_ (5) (3)

Fotografia, arte, cores e flores: uma misturinha boa de tudo que me encanta e me chama atenção por onde passo. Esse é apenas um resumo do trabalho lindo da fotógrafa por natureza Natália Viana, que conheci através do Instagram e me apaixonei logo de cara.

Cores sempre harmônicas, flores super bem selecionadas, objetos posicionados de forma leve, que conversam perfeitamente entre si nas mais lindas composições são marcas fortes da sua fotografia. Em toda imagem percebemos uma boa dose de carinho e muito amor depositado. Natália desenha com flores, compõe com a natureza.

Ao abrir o Instagram dela a gente logo se depara com a seguinte frase: “fotografo flores, assim elas não morrem”. E foi com essa vontade de eternizar as emoções que ela começou o seu trabalho como fotógrafa.

blog_ (10) (1)

blog_ (9) (2)

blog_ (13) (1)

Natália tem apenas 28 anos e é de Belém do Pará. De lá trouxe grande parte da sua fonte de inspiração e do amor por tudo aquilo que vem da natureza. Ela conta que muitos dos seus cliques vem cobertos de saudosismo. Saudade da sua terra natal, do aconchego dos pais, do perfume de jasmim – que era muito presente na sua infância. Sua família tem uma forte relação com flores e essa admiração foi construída ao longo de toda a sua vida. Hoje ela mora aqui em São Paulo com o seu noivo, também fotógrafo e incentivador do seu processo na fotografia. 

Parece que não, mas Natália não nasceu com uma câmera nas mãos. Ela é formada em moda e já teve até uma marca de roupa, a Quiquiriqui, na qual também podemos notar que o amor por flores já é um caso antigo. Depois que ela encerrou a marca, encontrou na fotografia – que antes para ela era apenas uma válvula de escape para enfrentar os contratempos de ser uma empreendedora – sua nova paixão e sua companheira no dia a dia. Na fotografia ela viu uma maneira de externalizar todos os seus sentimentos, de se comunicar através das suas fotos e de passar sua mensagem, sempre positiva, para um número cada vez maior de pessoas.

blog_ (11) (1)

blog_ (3) (3)

blog_ (16) (1)

Quando a pergunto sobre seu processo criativo, com toda a leveza ela responde: “Meu processo criativo sempre foi de forma muito livre. Funciona como uma conversa comigo mesma sobre o que eu acredito, o que me faz bem naquele momento, de que forma posso fazer algo para me fazer sorrir e, quem sabe, fazer sorrir outras pessoas.”

Sempre em contato com a natureza e com as belezas que ela fornece, Natália enxerga nesse amor que tem pelas flores uma maneira de se aproximar das pessoas, muitas vezes que ela nem imaginava conhecer. Como ela diz: “é a mãe natureza agindo para que coisas boas aconteçam!”.

blog_ (18) (1)

blog_ (8) (3)

blog_ (17) (1)

Inspirada por toda essa vontade de transmitir o lado bom da vida, fico aqui na torcida para que essa troca de emoções nunca acabe, pra que assim a gente continue acompanhando se encantando pelo trabalho da Natália.

Pra conhecer mais do seu mundo florido e colorido visite:

blog_ (4) (3)

Do baú da Vovó – Por Amanda Vicentini

Se tem uma coisa que eu me lembro muito bem da infância era revirar um baú onde minha avó guardava roupas antigas dela ou até mesmo da minha bisavó. Por lá tinham também peças que ela mesma fazia para a minha mãe e minha tia, tudo muito bem guardado e pronto para as próximas gerações tirarem proveito.

Hoje aquele baú me traz memórias incríveis e também me garantiu peças que uso com todo o amor, pois carregaram com elas toda a história da minha família e dos meus antepassados, como é o caso dessa camisa das fotos. Me lembro bem de ver a minha bisavó usando! Para acompanhar ela colocava uma saia um pouco abaixo dos joelhos e seus brinquinhos de brilhante que combinavam perfeitamente com os seus olhos azuis.

Já eu preferi usar com esse modelinho de calça super retrô também e uma sandália mais leve, respeitando o clima que a camisa tem.

Em meio a flores e muito verde, preparamos um pequeno ensaio para vocês pelos olhos da minha querida Amanda Vicentini.

Um quadro amarelo

Tem roupas que falam por si só, e esse vestido amarelo considero uma delas.

Ele tem a cor viva, um recorte lindo e um desenho super inspirador. Da pra ficar um tempão olhado essas casinhas desenhadas nele e imaginando uma porção de coisas.

O ensaio de hoje foi todo dedicado a essa peça cheia de vida e de cor! 🙂

 

vestido: Farm / oxford: Farm / anéis e pulseira: Joias Tatiana de Francisco / relógio: Casio

Pausa para o café com: Camis

Um dos meus objetivos com o blog é aprender um pouco mais sobre moda, empreendedorismo e conhecer gente criativa nesse meio. Então resolvi trazer essas pessoas para bater um papo gostoso no meio do dia e me inspirar com suas histórias.

Quem veio colorir nossa semana foi a Camila, que abriu um cantinho lindo e todo florido na Pompéia e contou um pouquinho da sua trajetória até aqui:

Camis: Olá, eu sou a Camila Shigaki, tenho 24 anos e sou estilista. Me formei na Belas Artes de São Paulo.

Como começou seu contato com moda?
Camis: Cresci no meio de panos e alfinetes com a minha mãe que trabalhou 30 anos como estilista e modelista no ateliê próprio.
Mas o que me encantava mesmo eram as pedrarias, miçangas dos acessórios. Então me atrevia a fazer pulseiras e colares pra mim.
Na época da faculdade eu criava e montava acessórios por hobby e vendia por lá para as minhas amigas. Era algo bem casual e descompromissado. Fazia porque eu gostava e não como business.

Onde trabalhou antes de montar seu próprio negócio?
Camis: Trabalhei em empresas do ramo de moda no setor de estilo. Meu primeiro estágio foi em criação de acessórios.  De lá, comecei a trabalhar com produção de moda e depois cai no ritmo frenético de uma multi nacional de vestuários para ver como funcionava um setor de criação em larga escala. De lá fui para uma importadora e por último para uma empresa familiar de moda bebê.

O que a motivou a criar a sua marca?
Camis: Esses saltos empresais foram de extrema importância para eu entender como que funcionava cada demanda e funcionalidade de pequeno, médio e grande porte empresarial. E esse mix de conhecimento me fez listar tudo o que eu queria pra mim e o que não me encaixava. Esse combo me fez elaborar a Camis, uma loja que eu acompanho todo o processo de criação e a triagem dos produtos, tento deixá-los com a minha identidade, meu perfil. No espaço Loja Camis tem moda, acessórios e decoração. E muita coisa artesanal, eu amo tudo que é feito à mão.

O que te faz acordar todos os dias satisfeita com o que faz?
Camis: O auge da satisfação é ver um cliente valorizando seu produto da mesma forma que você acredita no seu trabalho. Fazer o que acredita e gosta é algo impagável.

Quais são as dificuldades?
Camis:
A maior dificuldade pra mim foi abandonar a carteira de trabalho e sair da zona de conforto. Todo o processo exige tempo e muita dedicação, mas faz parte do jogo.
Aos poucos venho conquistando espaço no mercado, comecei com uma loja online, abri a física em São Paulo e já tenho representantes e um stand em Bauru/SP.

Como você idealizou sua marca?
Camis:
Eu idealizei uma empresa que em cada processo ou produto final envolvesse as pessoas de alguma forma com os detalhes que distribuo na minha loja.
Queria que o envolvimento fosse através do olhar, cheiro, cores e coração. Tenho a preocupação que o produto tenha um apelo ou design diferenciado, porém com preço justo.
Faço questão de fazer à mão cada embalagem/tag, as pessoas realmente sentem o carinho que você dedicou para seu trabalho e que aquilo chega até elas de forma física e visual.

Se ela fosse uma pessoa, como você a descreveria?
Camis:
Uma pessoa de alma leve, despretenciosa, rústica e aconchegante.

Para não perder nenhuma novidade dessa loja pra lá de especial, comece a seguir a Camis nas redes sociais. E caso queira ver tudo ao vivo e a cores – e bota cores nisso <3 – visite a loja, ela estará lá toda sorridente te esperando para um café.

Facebook: www.facebook.com/lojacamis
Instagram: @lojacamis
e-mail: lojacamis@gmail.com
Loja física: R Dr Miranda de Azevedo, 701 – bairro Pompéia – SP
Tel: 11 3582-0375
Stand: Espaço Camis na loja Balaio de Gato (R. Rio Branco 14-88) em Bauru/SP