Pausa para o café com: Amora Papel

blog_-8-1

Essa semana sentei para tomar um café com a minha quase xará de projeto, a criadora da Amora Papel. Conheci a Karen – cabeça e mãos por traz da marca – em uma das feiras que acontecem em São Paulo. O mais engraçado desses nossos encontros é que nos conhecíamos pelo Instagram, mas, tímidas que somos, não conseguíamos demonstrar isso ao vivo. Eis que um belo dia quebramos essa barreira e essa admiração foi para além do mundo virtual.

O trabalho da Karen é puro amor, desde a embalagem até o produto final. Como o próprio nome diz, é o amor ao papel. E esse sentimento tão bom é claramente passado pelos seus produtos, todos feitos à mão e com todo o carinho.

blog_-6-2

blog_-1-2

E pra saber melhor como acontece o processo de criação, feitura e suas maiores inspirações, acompanhe esse bate papo gostoso que tivemos por aqui:

V.A.: Como começou o seu amor por papelaria?

Amora Papel: O amor pela papelaria vem da infância, desde que me lembro por gente gosto de itens de papelaria. Quando era criança e chegavam datas como aniversário, Natal e meus pais me perguntavam o que eu queria de presente eu falava que queria ir à papelaria e gastar minha cota de presente em itens de lá. Fazia coleção de papel de carta, canetas coloridas, borracha, tudo o que você pode imaginar. A minha descendência é japonesa e nessa época meu pai trabalhava em uma empresa com sede no Japão, e por isso viajava algumas vezes a trabalho para lá. Quando ele voltava, ele trazia aquelas coisas mais fofas que tem lá, adesivos, borrachas com cheiro, era a maior alegria 🙂 Eu não usava nada, guardava tudo de tanta dó que eu tinha de usar as coisas.

blog_-10

V.A.: Qual é a sua relação com o trabalho manual?

A.P.: Fazer coisas com as mãos sempre esteve presente. Eu tenho uma irmã 8 anos mais nova, quando ela era pequena, eu gostava de fazer fantasias em papel para brincarmos. Em trabalhos da escola eu adorava desenvolver coisas à mão, muitas vezes presenteei meus pais com cartões ou álbuns que fazia. O tempo foi passando e perdi um pouco de contato com isso, de fazer coisas com as mãos, fui estudar Publicidade, mas quando entrei no mercado sabia que aquilo não ia me deixar feliz. Depois disso fui trabalhar com design e já foi um passo positivo, já era mais perto criar com mais carinho. Mas a papelaria foi onde senti que consigo extravasar e compartilhar esse meu amor.

blog_-2-2

blog_-7-1

V.A.: Quais as alegrias e as dificuldades de ter a sua própria marca?

A.P.: Alegrias são várias. Não tem preço você ver as pessoas se apaixonando por algo que você desenvolveu com tanto carinho, ter esse feedback é incrível. Acho que ser pequeno produtor também trouxe uma enorme alegria que foi conhecer outros pequenos produtores que tem trabalhos lindos, e são pessoas incríveis que se esforçam muito. Claro que temos dificuldades como todo trabalho, lidar com mil processos ao mesmo tempo, mas acho que uma das dificuldades para mim foi aprender a entender que você não vai agradar a todos e tudo bem. Às vezes tem pessoas em feiras que olham o seu trabalho e realmente não vão valorizar, vão falar que não valem o preço ou qualquer coisa do tipo. No começo foi sofrido para mim, eu ficava tentando entender o que tinha de errado com os produtos, me questionava se estava fazendo a coisa certa. Mas, com o tempo entendi que tudo bem, que eu quem tenho que estar feliz para poder passar essa energia para as minhas coisas. Já que eu quero que quem tenha um produto da Amora sinta alegria, e é essa pessoa que eu quero que esteja na minha rede.

blog_-3-2

V.A.: As estampas dos seus cadernos são pura delicadeza. É você mesma quem faz? Da onde vem a inspiração para criá-las?

A.P.: Sim, eu que faço 🙂

Acho que a inspiração vem de tudo que vejo, sou muito movida à imagem. Assim como tem gente que é movido à sons/música, o que mexe comigo é imagem, pode ser filme, foto, pintura, qualquer coisa. E também desenhar para mim é um momento que eu relaxo, em que tento esvaziar a cabeça e só desenhar, deixar a mão fluir.

blog_-4-2

V.A.: Ah, somos quase xarás! Como aconteceu a escolha do nome “Amora Papel”?

A.P.: Sim, somos quase xarás! Amora Papel na verdade veio de “Amor ao Papel” 🙂

V.A.: Se a Amora Papel fosse uma pessoa, como ela seria?

A.P.: Ai que pergunta difícil hahaha

Acho que independente do estilo, jeito dessa pessoa, a Amora seria uma pessoa que busca uma coisa: crescer e ser feliz.

blog_-5-2

Toda essa pureza e delicadeza são transmitidas nesses cadernos lindos que a Karen faz. Apoiar o pequeno produtor é isso, uma troca constante de admiração, carinho e amor por todos os lados.

E para ficar de olho nas novidades da Amora Papel, siga a marca nas redes:

Site: amorapapel.com.br

Instagram: instagram.com/amorapapel

Facebook: facebook.com/AmoraPapel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *