Moda e feminismo: conheça a Empooderadas

IMG_1584

Não é de hoje que o resgate da cultura do bordado vem ganhando a cena e fazendo parte novamente de rodas de mulheres ou até mesmo sendo aquele passa tempo terapêutico de quem quer se voltar para si mesma e desenvolver um trabalho manual prazeroso e relaxante.

O que antigamente era aquele momento gostoso em que as mulheres da família se reuniam, longe da companhia de seus maridos para jogar conversa fora e distrair um pouco, hoje o bordado chega como forma de expressão, uma maneira de retratar força e contar uma história tecida pelas mãos de diversas mulheres.

IMG_1585

FullSizeRender (2)

Um exemplo de que o bordado e o feminismo tem suas fortes ligações foi o surgimento de uma marca de sangue mineiro, mas com um pézinho bem firme no Rio de Janeiro, a Empooderadas. O nome já diz bem a mensagem que Maria Thereza, cabeça e mãos por trás da marca, quer passar.

Thereza é designer por formação mas atua na no mercado da moda desde a faculdade. Seu primeiro estágio, ainda em terras mineiras, foi com ninguém mais ninguém menos que o grande mestre da criatividade e inovação, Ronaldo Fraga. Dali em diante ela não saiu mais da moda e muito menos a moda saiu dela. Ela já morou na França, em Londres, mas foi aqui no Rio de Janeiro que criou raízes e busca grande parte de suas inspirações.

FullSizeRender (5)

IMG_1590

FullSizeRender (4)

O feminismo foi entrando na vida de Thereza assim como para a maioria de nós. Há uns anos atrás não sabia-se ao certo quando um ato era preconceituoso ou desrespeitoso, mas sabia que aquilo a incomodava, a deixava no mínimo desconfortável e que precisava lutar contra aquilo de alguma forma. E essa noção de limites e posicionamento que veio junto ao boom de informações e ao despertar de um novo momento para nós mulheres que deixou clara a mensagem que ela queria passar a diante.

Além da luta pelos nossos direitos, Thereza levantou a bandeira da aceitação dos nossos corpos e criou uma camiseta que dá vida aos “polêmicos” mamilos. A ideia veio de um olhar para a sua adolescência e do tabu que viveu por ter peitos pequenos – quem passou por esse bullying na escola sabe do que estou falando! Em paralelo a isso também vem aquele questionamento: porque os peitos masculinos não são censurados e os femininos ainda são?

IMG_1579

FullSizeRender (1)

Pensando nisso Thereza resolveu bordar uma de suas camisetas brancas e sair por aí com os seus mamilos a mostra sim! O que começou como uma ideia despretensiosa, virou uma marca em poucas semanas. A Empooderadas nasceu de forma genuína e assim continua sua caminhada. Como uma marca nova, muitas ideias e questões ainda estão por vir, mas as pesquisas de comportamento e o olhar atento dessa mineirinha cheia de bossa fazem a gente não querer perder um só passo dessa marca que tem muito a dizer.

A Empooderadas já está venda em uma parceria muito bacana com a Garimppo e também pode ser encomendada diretamente com a Thereza pelo Instagram, onde você fica por dentro de todas as novidades da marca.

Instagram: @empooderadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *